InícioPortalFAQBuscarRegistrar-seMembrosGruposConectar-se

Compartilhe | 
 

 Supernatural - nova aventura

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Luísa Winchester

Fã
avatar

Mensagens : 16
Data de inscrição : 01/06/2008
Idade : 25

MensagemAssunto: Supernatural - nova aventura   Ter Jun 10, 2008 9:03 am

uma fic d sn q ainda não acabei...
axu k exagerei um bocado na lamexice, mas esper q gostem!!

PARTE 1

Na estrada, depois de mais um caso resolvido, os irmãos Winchester seguiam agora para Kansas, onde havia conhecimento de um novo caso sobrenatural.
- Muito bem Sam, o que é que o Bobby te disse mesmo? – perguntou Dean.
- Uma série de mortes, sem causa aparente e tudo à volta de um tipo qualquer… - respondeu Sam.
- E o Bobby não sabe do que se trata? – perguntou Dean.
- Ele desconfia que seja um espírito vingativo – começou Sam – mas pediu que fossemos ver.
- Ok… vamos lá então – disse Dean, enquanto pegava no telemóvel, que estava a tocar – Sim?
Do outro lado estava, nada mais, nada menos do que Rachel.
- Olá Dean! – começou Rachel – então, o que é feito de vocês?
- Rachel? – Dean ficou atrapalhado, enquanto que Sam o gozava – ahh… tudo bem?
- Sim, sempre – respondeu Rachel num tom jovial – eu e a Katie estamos aqui nos EUA, mais propriamente, em Kansas.
- Kansas? – perguntou Dean – eu e o Sam estamos a ir para aí… parece que há algo para nós.
- Também já tiveste conhecimento de um novo caso? – perguntou Rachel – eu e a Katie estamos cá de férias, e ouvimos falar deste novo caso. Decidimos dar uma vista de olhos… e telefonar-vos para saber se se querem juntar a nós… que dizes de caçarmos juntos?
- Hã… bem… sim… porque não? – disse Dean – onde é que vocês estão?
-Fazemos assim – disse Rachel – quando chegarem a Kansas, telefonam e nós vamos ter convosco. Ah! E desta vez, não precisam de ficar num motel. Eu e a Katie temos um apartamento que chega perfeitamente para nós os quatro.
- Hã… ok então. Até lá. – disse Dean, desligando depois.
- Era a Rachel? – perguntou Sam, com um sorrisinho de gozo.
- Era – respondeu Dean – Ela e a Katie estão no Kansas.
- A sério? – perguntou Sam – então quer dizer que as vamos encontrar por lá certo?
- Parece que sim – respondeu Dean – elas querem que fiquemos no apartamento delas… e elas também sabem do caso que o Bobby nos falou.
- No apartamento delas? – perguntou Sam – só nós e elas?
- Parece que sim Sammy – respondeu Dean, com um sorriso – tu e a Katie, huh?
- E tu e a Rachel, huh Dean?
Os dois irmãos sorriram para si, enquanto imaginavam mil e uma coisas que poderiam acontecer naquele apartamento.

- Finalmente chegaram! – Katie saudou-os com um sorriso, enquanto abria a porta do apartamento. Dean e Sam seguiram-na até um quarto amplo, com duas camas.
- Bem – começou Katie – vocês podem dormir aqui, eu e a Rachel estamos no quarto ao lado.
- Por falar da Rachel – disse Dean – onde é que ela está?
- Ela saiu. Foi ter com um amigo. – disse Katie.
- Amigo? – perguntou Dean – não sabia que vocês tinham amigos aqui.
- Dean – começou Katie – eu e a Rachel nascemos e crescemos aqui no Kansas. Como já sabes, há uns tempos, viajamos para Portugal, precisávamos de novos ares… e agora viemos passar uns tempos aqui à nossa terra Natal. Às vezes é preciso matar as saudades!
- Hã… E quando é que ela volta? – quis saber Dean.
- Deve estar a chegar – respondeu Katie, virando-se depois para Sam – então? Está tudo bem?
- Sim – disse Sam, sorrindo para Katie – e contigo?
- Também – respondeu Katie, sem desviar o olhar.
Sem dúvida que Sam e Katie não tinham esquecido os bons momentos passados em Portugal. Dean, que estava a olhar para eles, dava estalidos com a língua em sinal de impaciência.
- A Rachel está a demorar não? – começou Dean, interrompendo a conversa e os sorrisos entre Sam e Katie.
Quando Katie se preparava para responder, a porta do apartamento abriu-se, e por lá entrou Rachel.
Dean, que pensava que ia ser o primeiro a receber o sorriso de Rachel, ficou desiludido quando Rachel primeiro se dirigiu a Sam e a Katie. Depois de ter cumprimentado os dois amigos, Rachel olhou Dean nos olhos, dirigiu-lhe o mais belo dos sorrisos e beijou-o.
- Bem, não estava à espera disso – disse Dean, com um sorriso um tanto envergonhado.
Não gostaste foi? – provocou Rachel.
- Nada disso – disse Dean – só não estava à espera.
- Eu sou uma caixinha de surpresas – disse Rachel.
Os quatro sorriram entre si.
- Bem, vamos jantar? – perguntou Katie.
- Sim, mas temos de esperar por uma pessoa – disse Rachel – o Michael vem jantar connosco, ele só foi a casa trocar de roupa.
- Michael? Quem é o Michael? – perguntou Dean.
- É um amigo – respondeu Rachel – um grande amigo.
- Um grande amigo? – perguntou Dean.
Quando Rachel se preparava para responder a Dean, tocaram à campainha e Katie foi abrir, trazendo consigo Michael que transportava um ramo de flores.
- Sam, Dean – começou Katie – este é o Michael.
- Olá – disse Sam, enquanto que Dean se limitou a acenar com a cabeça.
- Michael, estes são o Sam e o Dean Winchester – disse Rachel – conhecemo-los em Portugal.
Michael estendeu a mão para cumprimentar os irmãos, mas só Sam retribuiu o gesto. Vendo o seu gesto ignorado por Dean, Michael dirigiu-se a Rachel e ofereceu-lhe o ramo de flores que trazia consigo. Rachel corou e disse:
- Obrigado Michael… não era preciso nada…
Dean que estava a observar tudo com um ar carrancudo, pegou nas chaves do carro e disse:
- É para ir jantar ou quê? Não me apetece estar aqui a levar com mel…
Rachel já ia responder à boca de Dean, quando Sam disse:
- Vamos jantar então.

Enquanto que jantavam, Rachel e Michael conversavam animadamente, ignorando Dean que literalmente deitava fumo pelas orelhas.
Quando se dirigiam para casa, depois de se despedirem de Michael, os quatro amigos seguiam no Impala para o apartamento.
Sam e Katie iam no banco de trás a rir e a conversar, talvez a recordar os tempos passados em Portugal, enquanto que Dean e Rachel seguiam nos bancos da frente, com Rachel a tentar falar com Dean, pois este parecia amuado.
- O que é que se passa Dean? – perguntou Rachel – o que é que tu tens?
Dean ignorou Rachel e aumentou o volume do rádio, onde estava a passar a Back in Black, dos ACDC.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Luísa Winchester

Fã
avatar

Mensagens : 16
Data de inscrição : 01/06/2008
Idade : 25

MensagemAssunto: Re: Supernatural - nova aventura   Ter Jun 10, 2008 9:06 am

PARTE 2

Rachel olhou para ele com ar chocado e depois ignorou-o também, deixando-o ainda mais chateado.
Ao chegarem à porta do prédio, estava lá sentada a vizinha de Katie e Rachel, que devia ter cerca de 25 anos e que se dirigiu a eles:
- Finalmente encontrei alguém! Perdi a minha chave e a minha colega só chega por volta das 23:30h… Rachel, Katie, importam-se que eu fique no vosso apartamento até a minha colega chegar?
Rachel começou a dar estalidos com a língua, mas estes estalidos de impaciência foram abafados pela resposta de Katie:
- Claro Anna. Não há problema.
- Não há problema nenhum – disse Dean, dirigindo-se a Anna – o meu nome é Dean.
Rachel revirou os olhos e atirou um olhar de raiva a Dean e a Anna que trocavam sorrisinhos. Subiram os cinco até ao apartamento, sentando-se depois na sala a conversar.
Sam e Katie continuavam inseparáveis, e a noite prometia para eles. Dean e Anna continuavam também com sorrisinhos e conversas e Rachel, farta de ver Dean a fazer-se a Anna a toda a força, levantou-se e disse:
- Meninos, vou tomar um banho e depois sigo para a cama… estou cansada e preciso de dormir.
- Boa noite – disseram Sam e Katie ao mesmo tempo.
Dean e Anna ignoraram Rachel.
Rachel foi tomar o seu banho e seguiu para o quarto que partilhava com Katie.
Pouco depois, Sam e Katie ocuparam o quarto que pertencia aos dois irmãos… ou seja, Dean teria de se juntar a Rachel no mesmo quarto e… na mesma cama, pois o quarto das meninas apenas tinha uma cama de casal.

Dean, que apenas estava a conversar com Anna para fazer ciúmes a Rachel, olhou disfarçadamente para o relógio e disse:
- Já viste as horas Anna? A tua colega já deve ter chegado!
- Tens razão – disse Anna, meia atrapalhada, pois Dean estava a despachá-la – vou indo… a gente vê-se.
- Tchau! – disse Dean, fechando a porta.
No corredor, Dean preparava-se para entrar no quarto quando reparou no papel que estava debaixo da porta:

Dean, desculpa, mas vais ter de passar a noite no quarto da Katie e da Rachel. Eu e a Katie temos assuntos a resolver Wink

Dean revirou os olhos e abriu a porta do quarto de Rachel e Katie. Lá estava Rachel a dormir, com o ar mais sossegado do mundo. Dean não resistiu e sorriu ao vê-la assim tão tranquila. É verdade que ele estava chateado com ela, mas era impossível resistir-lhe, vendo-a lá deitada a dormir com o ar mais calmo do mundo.
Dean entrou no quarto e fechou a porta. Só depois reparou que só existia uma cama… voltou a revirar os olhos… estava chateado com Rachel, não queria dormir “com” ela. Queria ficar amuado até ela lhe pedir desculpa. Mas era difícil deitar-se ao lado dela sem lhe poder tocar. Ela podia-o ter provocado e chateado quando deu toda a atenção a Michael, mas ele também não tinha reagido muito bem ao meter conversa com Anna.
Deitou-se ao lado dela e olhou-a. Quis acordá-la e esclarecer as coisas, mas ele também estava confuso. Deu uma volta na cama, fechou os olhos e adormeceu.

Rachel ouviu o despertador, mas não abriu os olhos. Virou-se para o outro lado e pôs um dos braços por cima de quem pensava ser Katie.
Dean, que tinha acordado depois de ter levado com o braço de Rachel, abriu os olhos e espreguiçou-se.
Rachel ao sentir este movimento que não era habitual de Katie abriu os olhos e viu Dean.
Ficaram os dois a olhar um para o outro durante segundos e depois Rachel perguntou-lhe:
- O que é que estás aqui a fazer?
- Fui expulso do quarto dos pombinhos – começou Dean – ontem quando me ia deitar, dei com um bilhete do lado de fora da porta. E tive de vir dormir para aqui.
Rachel levantou-se sem dizer uma palavra. Dean não tinha reparado, mas Rachel apenas tinha vestido uma t-shirt por cima da roupa interior. Olhou-a de cima abaixo enquanto que ela estava de costas e quando Rachel se virou, apanhou-o a olhar para ela.
- O que foi? – disse ela – não é nada que já não tivesses visto!
- E eu disse alguma coisa? – defendeu-se Dean.
- Não, mas estás para aí a olhar – disse Rachel.
- Convencida! Até parece que é para ti que eu estou a olhar!
- Não vejo aqui mais ninguém para quem possas olhar. – disse Rachel.
A esta afirmação, Dean não teve resposta. Ficaram ali os dois, a olhar um para outro, no silêncio mais estranho do mundo. Já se conheciam há algum tempo e, este tipo de silêncio costumava ser ocupado pelas discussões.
O silêncio foi quebrado quando bateram à porta. Era Sam.
- Podes entrar Sam – disse Rachel.
- Estão vestidos? – gozou Sam, enquanto entrava no quarto, seguido por Katie.
- Porque não haveríamos de estar vestidos? – perguntou Dean.
- Bem… nós pensamos que… - começou Katie.
- Vocês não tinham que pensar em nada – cortou logo Rachel – não se passou nada entre nós.
- Não sei de onde vocês tiraram essa ideia – disse Dean – e, para a próxima, troquem de quarto, para eu não ter de partilhar a mesma cama com ela – disse, fazendo um gesto com a mão em direcção a Rachel.
- Ela tem nome, ó amuado – disse logo Rachel – o que é que se passa contigo Dean? Porque é que me tratas como se eu te tivesse feito algum mal? Não te entendo!

Dean limitou-se a encolher os ombros e virar as costas a Rachel. Depois levantou-se e saiu do quarto.
- O que é que ele tem? – perguntou Rachel a Sam.
- Ou eu me engano muito, ou o problema do meu irmão são ciúmes. – disse Sam.
- Ciúmes? – perguntou Rachel – mas ciúmes porquê?
- Rachel, ele sentiu-se ignorado por ti, ontem no jantar – disse Katie – passaste o jantar todo a falar com o Michael.
- Não acredito – disse Rachel – é por causa disso? O Michael é só meu amigo, e é o tipo que nós temos de proteger, pois o espírito vingativo está a destruir tudo o que ele gosta: família, amigos…
- Então é o Michael quem o espírito anda a tramar – disse Sam.
- Parece que sim – concluiu Katie, virando-se depois para Rachel – vai falar com o Dean e esclareçam as coisas… vocês ainda ficam piores assim do que quando passam a vida a discutir!
Rachel assentiu com a cabeça. Katie tinha razão… sentia-se mal por ter ignorado Dean durante o jantar, mas também estava triste por este ter dado bola a Anna. Rachel encolheu os braços e saiu do quarto. Queria esclarecer as coisas com Dean.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Luísa Winchester

Fã
avatar

Mensagens : 16
Data de inscrição : 01/06/2008
Idade : 25

MensagemAssunto: Re: Supernatural - nova aventura   Ter Jun 10, 2008 9:07 am

PARTE 3

Dean estava sentado na bancada da cozinha, com um copo de leite nas mãos.
Rachel sentou-se ao lado dele e perguntou:
- Posso fazer-te companhia?
- Estamos num país livre – disse Dean – força, senta-te aí.
- Dean, eu queria pedir-te desculpa por causa do jantar de ontem… eu passei o tempo todo a ignorar-te… mas não foi por mal.
- Pois não – ironizou Dean – só estavas a dar atenção ao Michael, enquanto que eu segurava a vela entre vocês os quatro.
- Vá lá Dean! – disse Rachel – eu estou a tentar resolver as coisas… e tu não estás a ajudar muito! E, para além disso, eu também me senti ignorada ontem.
- Tu? – perguntou Dean.
- Já te esqueceste da Anna? – perguntou Rachel – olha que os vossos sorrisinhos ainda estão bem vivos na minha memória.
- Vá lá… não levaste isso a sério pois não? – perguntou Dean.
- Não deveria ter levado? – retorquiu Rachel – sabes uma coisa Dean? Tu andas estranho… e eu também… não sei explicar… eu gosto de estar contigo, tu sabes que sim, mas sinto que tu estás diferente…
- É engraçado – disse Dean, sorrindo pela primeira vez – eu sinto o mesmo… mas não sei o que fazer em relação a isso! Sinto-me tão confuso! E ontem, ao ver-te com o Michael, fiquei ainda mais confuso…
- Dean – Rachel olhou nos olhos de Dean – eu adoro estar contigo, e sinto-me muito mal por estarmos assim… tão afastados. Lembras-te quando nos conhecemos? Dávamo-nos tão mal! Mas eu não conseguia deixar de pensar em ti… e, pelo menos, não estávamos tão afastados! Por isso, tenho uma proposta a fazer-te: vamos aproveitar agora, que podemos estar juntos… vamos aproveitar o tempo que temos para desfrutar-mos de tudo, e vamos esquecer estas discussões estúpidas… eu quero voltar a ver-te sorrir e a mandar bocas como antes! Quero discutir e fazer as pazes logo a seguir… vamos viver cada momento… que dizes?
Dean olhou para Rachel e beijou-a. Já tinha saudades de o fazer… pegou-a ao colo e sentou-a na bancada. Começou a tirar-lhe a t-shirt que ainda tinha vestida, e Rachel despiu a t-shirt de Dean também. Aquele momento era único. Dean e Rachel estavam bem outra vez. O problema que tinha feito com que eles se afastassem, mesmo antes de se juntarem estava resolvido. Os tempos que se avizinhavam prometiam.

Depois daquele momento, Dean e Rachel estavam agora com Sam e Katie, a almoçar. Os quatro amigos conversavam e riam entre si.
- Afinal – disse Dean – quando é que vamos investigar esse caso do espírito vingativo?
- Eu e a Rachel já começamos – disse Katie – o Michael é a vítima deste espírito.
- O Michael? – perguntou Dean.
- Sim – respondeu Rachel – por isso é que eu e a Katie temos andado com ele. No espaço de um mês já perdeu a namorada, o pai e o melhor amigo.
- Mas como é que eles morreram? – quis saber Sam.
- Cada um de uma maneira diferente – respondeu Katie – a namorada morreu num incêndio, o pai num acidente de automóvel e o melhor amigo do Michael foi asfixiado.
- Mas isso não tem nada de sobrenatural – disse Sam – podem apenas ter sido acidentes.
- Talvez – disse Rachel – se não tivéssemos encontrado enxofre nos locais das mortes…
- Enxofre – disse Sam – sinal de demónio.
- E porque é que o Michael é a vítima deste espírito? – perguntou Dean.
- Bem – disse Rachel – isso é óbvio… os que morreram foram a namorada do Michael, o pai do Michael e o melhor amigo do Michael…
- Ou seja – concluiu Katie – o que quer que isto seja, está a tentar vingar-se do Michael, matando todos os que lhe são queridos.
- Nesse caso – disse Sam, para Katie e Rachel – vocês estão em perigo! Vocês são amigas do Michael…o melhor é não se meterem nisto.
- Calma Sam! – disse Rachel – nós ainda temos noção disso… e achas que não estamos preparadas para o que vier?
- Mesmo assim – disse Dean – o Sam tem razão. Vocês não deviam meter-se nisto… eu e o Sam damos bem conta do recado.
- Não! – disseram Rachel e Katie ao mesmo tempo.
- Nem pensem nisso… eu e a Rachel queremos entrar… - disse Katie.
- Exacto – disse Rachel – não tentem pôr-nos fora disto… o Michael é nosso amigo!
- Ok, ganharam!! – disse Dean, com cara de chateado – se é por causa do Michael…
- Vá lá Dean! – disse Rachel, aproximando-se um pouco mais dele – o Michael é só um velho amigo de infância… não tens de sentir ciúmes!
- Eu não disse que tinha ciúmes! – disse Dean – só acho é que vocês estão a preocupar-se demais com ele, que nem dão conta que também estão em perigo!
- Não se preocupem – disse Katie – eu e a Rachel sabemos tomar conta de nós. E para além disso, vocês estão lá em casa… por isso, não há nada a temer!
Dean e Sam concordaram. De facto, eles estavam quase sempre com elas, por isso, não era possível que acontecesse alguma coisa com eles por perto.
No fim do almoço, os quatro enfiaram-se no apartamento, a pesquisar. Sam e Katie ficaram no portátil, enquanto que Dean e Rachel se ocupavam da pesquisa em livros.
Dean deu por si no meio de nenhures. Sozinho. Ao longe, ouviu barulho de passos. Seguiu o barulho desses passos, e, de repente, viu-se rodeado por galinhas. Sim, galinhas. Mas eram galinhas diferentes. As galinhas estavam possuídas! E começavam a cercá-lo cada vez mais perto. Uma delas saltou para cima dele, e todas as outras fizeram o mesmo. Dean gritava e esperneava, mas ninguém o acudia. Onde estavam Sam, Rachel e Katie?
Acordou.
Dean levantou a cabeça dos livros que o rodeavam e olhou à sua volta. Sam e Katie estavam no portátil. Rachel estava a pesquisar um livro sobre espíritos, e, reparando que Dean estava a olhar para ela perguntou:
- Que cara é essa?
- Adormeci. E tive um sonho muito estranho.
- Que sonho? – perguntou Rachel.
- Sonhei com galinhas… possuídas.
Rachel olhou para ele tentando manter uma cara séria, mas escangalhou-se a rir. Ainda com a mão na barriga de tanto rir, e com os olhos cheios de lágrimas de riso, perguntou:
- Galinhas possuídas?
Dean, que também começava a achar piada aquele sonho, riu-se também.
- O que foi? É normal eu sonhar com galinhas possuídas… afinal sou um caçador! Até nos meus sonhos o sobrenatural faz parte de mim!
Sam e Katie que até então não estavam a prestar atenção à conversa, viraram-se para eles:
- De que é que estão a rir-se tanto? – perguntou Sam.
- O teu irmão adormeceu – começou Rachel – e sonhou com galinhas possuídas.
Agora foi a vez de Sam e Katie se partirem a rir.
Os quatro ficaram assim um bom bocado. Depois de este sonho de Dean, os amigos fizeram uma pausa e foram lanchar. Ficaram mesmo por casa e lancharam na sala de estar. Sam e Katie, como já começava a ser hábito, estavam aos carinhos um com o outro. Esses sim, sabiam aproveitar o tempo que tinham.
Dean e Rachel também estavam juntos. Mas não tão lamechas como Sam e Katie. Estavam a “picar-se” um ao outro com boquinhas:
- Então Dean? – disse Rachel – ainda a pensar em galinhas demoníacas?
Dean olhou para ela e disse:
- Porquê? Querias que estivesse a pensar em ti?
Agora foi a vez de Rachel olhar para Dean. Sorriu. Aqueles olhares davam cabo dela. Naquele momento, o que ela queria era “saltar-lhe para cima”. Mas para seu grande desgosto, estavam na sala, na companhia de Sam e Katie… e não era muito boa ideia Rachel atirar-se para cima de Dean, mesmo à frente dos outros dois pombinhos, por isso, limitou-se a um beijo nos lábios, que a fez arrepiar até à ponta dos cabelos. Bolas! Estava mesmo apanhada por aquele tipo…só queria pegar-lhe na mão e levá-lo sabe-se lá para onde… e satisfazer o desejo que tomava conta dela. Respirou fundo e desviou o seu olhar do de Dean. Olhou pela janela e viu uma imagem que a fez dar um grito.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Luísa Winchester

Fã
avatar

Mensagens : 16
Data de inscrição : 01/06/2008
Idade : 25

MensagemAssunto: Re: Supernatural - nova aventura   Ter Jun 10, 2008 9:10 am

PARTE 4

- O que é que se passa? – perguntaram os outros três em coro.
- Eu… eu… - começou Rachel – vi… algo na janela…
- Algo? – perguntou Dean – algo como o quê?
- Era alguém… - continuou Rachel – eu sei que estamos no 3º andar, mas eu podia jurar que vi alguém do outro lado da janela.
Dean levantou-se e abriu a janela. Espreitou para fora mas não viu nada nem ninguém. Rachel continuava transtornada.
- Será que era o demónio que anda a vingar-se do Michael? – perguntou Rachel.
- É bem possível – disse Katie – mas tu aqui estás em segurança. Vamos por sal nas portas e janelas, só para ficarmos mais seguros.
- Como era o que viste na janela? – perguntou Sam.
- Estava desfigurado, mas acho que era uma rapariga – disse Rachel.
- Só lhe viste a cara? – perguntou Dean.
- Sim – disse Rachel – só vi a cara.
Os quatro olharam uns para os outros. O momento de pausa tinha chegado ao fim. Rachel e Katie foram à cozinha buscar o sal, que começaram a colocar nas portas e nas janelas, com a ajuda de Dean e Sam.
Depois de terminarem, Dean anunciou:
- Bem, quem quer que seja que anda atrás de nós, aqui não entra, por isso, proponho que jantemos, até porque eu já tenho a barriga a queixar-se.
- Concordo com o Dean – disse Katie – eu posso preparar qualquer coisa… também tenho fome.
- Eu ajudo-te – ofereceu-se Sam.
Os dois seguiram para a cozinha, deixando Dean e Rachel na sala.
- Vocês acham que eu estou doida não é? – perguntou Rachel – mas eu tenho quase a certeza que vi alguém do outro lado da janela.
- Ei! – disse Dean, abraçando Rachel – ninguém acha que estás doida. Todos nós já vivemos o suficiente, para sabermos bem o que vemos. E se tu dizes que viste alguém, eu acredito.
Rachel olhou para Dean e disse:
- Tu estás diferente…
- Diferente como? – perguntou Dean.
- Sei lá… estás mais sensível… - disse Rachel – eu estava a falar, a pensar que tu ias dizer algo do tipo: “estás maluca? Claro que acreditamos em ti! Somos caçadores, temos mais é de acreditar nessas tretas todas!”
- É assim que me vês? – Dean fez beicinho.
Rachel sorriu.
- Vês? É disso que falo!
- Não posso ser simpático? – perguntou Dean.
- Podes… - disse Rachel – e eu até gosto dessa tua faceta de… sensível.
- Sensível? – perguntou Dean, arqueando as sobrancelhas – pensei que já era sensível o suficiente.
Rachel limitou-se a sorrir e a voltar a abraçar Dean. Gostava mesmo dele, assim, todo simpático e preocupado. Mas também tinha saudades do Dean resmungão e irónico. Ele tinha este efeito nela. Conseguia fazer com que Rachel ficasse toda melosa quando estava junto a ele. Sentia-se mais segura que nunca, quando sabia que tinha Dean por perto. Estava ainda preocupada com aquela cara que tinha visto na janela, mas tinha Dean consigo. Estava segura.
Jantaram os quatro e depois de conversarem durante um bocado, foram deitar-se. Como já seria de esperar, Sam e Katie foram para o mesmo quarto, deixando Dean e Rachel novamente entregues a si mesmos.
Sam e Katie, no quarto, conversavam sobre Dean e Rachel:
- Achas que eles se vão entender? – perguntou Katie.
- Bem – começou Sam – eles já se entenderam.
- Sim – insistiu Katie – mas o teu irmão está diferente… como é que eu hei-de dizer isto? Acho que o teu irmão gosta mesmo da Rachel.
- Eles agora estão a dar-se melhor, eu sei – disse Sam – estão todos queridos um com o outro, mas sem exagero… sabem não ultrapassar os limites da lamechice, até porque eles nunca souberam como reagir a isto.
- Isto o quê? – perguntou Katie.
- Será que lhe devo chamar… um namoro? – perguntou Sam, cheio de dúvidas.
- Queres que eu seja sincera contigo? – perguntou Katie – eu vi a Rachel assim poucas vezes. E já a conheço desde criança.
- Assim como? – quis saber Sam.
- Tão feliz, tão querida com algum rapaz… o Dean é um sortudo! Só que a Rachel tem medo de ser magoada… ela adora o Dean, mas tem medo que ele a magoe, por isso é que quer levar as coisas com calma. Por um lado, quer ter o Dean sempre por perto, sempre com ela. Mas por outro lado, está sempre de pé atrás… sempre à espera de um passo em falso.
- Acho que isso também se aplica ao Dean. – disse Sam – eu também o vi assim poucas vezes… acho que ele também tem medo de ser magoado.
- O que será que eles estão a fazer? – perguntou Katie.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Luísa Winchester

Fã
avatar

Mensagens : 16
Data de inscrição : 01/06/2008
Idade : 25

MensagemAssunto: Re: Supernatural - nova aventura   Ter Jun 10, 2008 9:11 am

PARTE 5

No outro quatro, Rachel já dormia, com Dean acordado ao seu lado. Apesar de saber que Rachel estava segura naquele apartamento, Dean queria tomar conta dela. Era estranha, a volta que aquela relação tinha dado. Quando se conheceram, não se podiam ver à frente; só depois de Dean ter salvo a vida a Rachel, é que esta cedeu, e passaram uns bons tempos juntos em Portugal. Agora, encontravam-se nos EUA, com a vida de Rachel provavelmente em risco, e Dean estava receoso quanto ao que tinha passado até agora. Primeiro, não percebia porque é que se tinha chateado com Rachel logo no primeiro dia em que se encontraram; depois, quando fizeram amor no dia a seguir, parecia que estava tudo bem e, durante a tarde ainda foi melhor. Dean estava a adorar poder partilhar a mesma casa e o mesmo quarto com Rachel. Estava a adorar poder protegê-la. Tinha a certeza que ela estava segura, agora que ele estava com ela, no quarto, na mesma cama. Olhou para ela e sorriu. Deu-lhe um beijo na testa e deitou-se ao seu lado. Adormeceu, e quando de manhã foi acordado com o sorriso de Rachel, pareceu-lhe que o sol brilhava um pouco mais naquele nascer do dia.
Tomaram o pequeno-almoço todos juntos, e depois voltaram ás suas pesquisas, mas Dean não voltou a sonhar com galinhas possuídas.
- Temos de falar com o Michael – disse Sam – temos de saber se ele conheceu alguém que não gostava dele… e que tenha algum motivo para se vingar dele.
- Que tal se o convidar-mos para almoçar? – sugeriu Rachel.
- Não era preciso tanto – disse Dean – bastava telefonar-lhe.
- Isto não é para conversar por telemóvel – disse Sam – concordo com a Rachel, é melhor ele vir cá almoçar.
Ficou então decidido, sem a aprovação de Dean, que Michael iria almoçar com eles.
Durante o almoço, Michael estava sempre a presentear Rachel com elogios, que já começavam a irritar Dean.
- Rachel, estás muito bonita hoje – disse Michael.
- Obrigado – disse Rachel com ar indiferente, continuando a comer.
- Rachel – disse Dean – podes vir comigo ali por um instante?
Rachel olhou para Dean confusa, mas acenou com a cabeça e foi com Dean para a cozinha.
- O que é que se passa? – perguntou Rachel.
- É o Michael – disse Dean – temos de falar com ele… para ver se ele sabe de alguém que já morreu e que se quer vingar dele.
- Sim, eu sei Dean – disse Rachel – foi só para isso que me chamaste aqui?
Dean olhou para Rachel com um ar malandro e respondeu:
- Não.
E beijou-a. Rachel gostou e retribuiu o beijo. Estavam os dois loucos! Enquanto que os outros três estavam a almoçar na sala, Dean e Rachel estavam na cozinha, a … “namorar”.
Quando chegaram à sala, cerca de 15 minutos depois de terem saído de lá, Katie e Sam trocaram olhares cúmplices e olharam para Dean e Rachel.
Michael, ao perceber a troca de olhares, perguntou:
- Vocês são namorados?
Rachel e Dean olharam para Michael e depois olharam um para o outro e Dean respondeu:
- O que é que tu tens a ver com isso?
Michael, apanhado de surpresa pela resposta de Dean, começou a gaguejar:
- B-bem… eu como vos vi assim a trocar olhares uns com os outros, pensei…
- Mas não tinhas de pensar nada Michael – disse Katie – estamos aqui para falar de ti, e não de nós.
- É isso mesmo – apoiou Dean, virando-se depois para Michael – tens de nos dizer se alguma vez conheceste alguém que te quisesse fazer mal…
Michael olhou para Dean e depois fez uma expressão de concentração, dizendo:
- Não… a não ser que… mas não pode ser!
- Não pode ser o quê? – perguntou Rachel.
- Deve estar agora a fazer um ano – disse Michael – que uma rapariga se suicidou… por minha causa.
- Bem, não és nada modesto! – disse Dean.
- Não é isso! – disse Michael – ela gostava de mim, e eu já tinha andado com ela, mas tínhamos acabado… e ela jurou-me que se eu não voltasse para ela, ela se mataria e que depois iria arranjar uma forma de se vingar de mim… ao início, eu não liguei, mas quando me telefonaram para casa a dizer que ela tinha mesmo morrido…
- E não te lembraste disso antes? – perguntou Katie – é que essa tua ex-namorada já tentou entrar aqui em casa…
- Mas como? – perguntou Michael – vocês vivem no 3º andar… e era impossível ela entrar pela porta…
- Caro Michael – disse Dean, pondo a mão no ombro de Michael – os demónios não usam o elevador nem as escadas do apartamento… e também não precisam de entrar necessariamente pela porta…
Michael engoliu em seco. Estava com medo… depois de ter feito tantas vítimas, será que a sua ex-namorada vinha atrás dele?
- Bem – disse Michael a medo – mas ela vem atrás de mim?
- Provavelmente sim – respondeu Sam – todas as vítimas que fez estavam ligadas a ti… a tua namorada, o teu pai e o teu melhor amigo…
- Mas não és só tu quem está em perigo – disse Dean – a Rachel e a Katie, sendo tuas amigas, também têm a sua vida em risco.
- Mas isso agora não é importante – disse Katie – temos de descobrir onde é que a tua ex-namorada foi enterrada, para queimar-mos os ossos dela e…
- Ela não foi enterrada – cortou Michael – foi cremada.
- Bonito – ironizou Rachel – como vamos fazer agora? Onde vamos arranjar um objecto ao qual ela fosse muito chegada?
- Bem – disse Dean – podíamos ir a casa dela…
- Como o Michael é conhecido de lá, os pais não achariam estranho…
- A Sarah vivia sozinha… - disse Michael – os pais dela já morreram… e ela era filha única…
- Assim é mais fácil – disse Sam – mas não sabes nenhum objecto ao qual ela pudesse estar ligada?
Michael assumiu uma expressão de concentração e, depois de alguns minutos nos quais Dean dava estalidos com a língua em sinal de impaciência, respondeu:
- Havia um anel, que eu lhe ofereci quando fizemos 1 ano de namoro… ela andava sempre com ele… nunca o tirava, mesmo depois de termos acabado, ela continuou a andar com ele… até ao dia em que se matou. Eu tinha passado por casa dela para buscar umas coisas que tinha lá deixado durante o tempo em que namoramos… ela começou a dizer que nós tínhamos de voltar a namorar e essas tretas… eu disse-lhe sempre que não, que tinha tudo acabado. Quando ela percebeu que eu não ia mesmo mudar de ideias, tirou o anel, atirou-o ao chão e disse que se matava se eu não voltasse pra ela…
- Ok – disse Dean – agora que já conhecemos a história, vamos lá para casa dela procurar o anel.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Luísa Winchester

Fã
avatar

Mensagens : 16
Data de inscrição : 01/06/2008
Idade : 25

MensagemAssunto: Re: Supernatural - nova aventura   Ter Jun 10, 2008 9:12 am

PARTE 6

Os cinco dirigiram-se então para casa de Sarah. Já no interior, dividiram-se em grupos: Sam e Katie ficaram juntos, enquanto que Dean, Rachel e Michael formaram o segundo grupo.
Era verdade que a discussão entre Michael e Sarah tinha acontecido na sala, mas, depois da morte, Michael não sabia se alguém tinha encontrado o anel e o tinha posto noutro lugar da casa.
Como Sam e Katie tinham ficado na sala, com o medidor de CEM, Dean, Rachel e Michael foram procurar o anel no quarto de Sarah.
Michael parecia estar com medo, mas tentava disfarçar, embora os suores na testa não lhe permitissem esconder o pavor.
Ouviu-se um barulho na sala. Dean, Rachel e Michael pararam de repente o que estavam a fazer, para tentar descobrir o que se estava a passar, até que Dean anunciou:
- Eu vou ver o que se passa. Não saiam daqui.
Rachel ainda abriu a boca para anunciar que o acompanhava, mas depois lembrou-se que tinha Michael ao seu lado, por isso tinha de o proteger se acontecesse alguma coisa.
Ficaram uns segundos a ouvir os passos de Dean nas escadas e depois, Rachel voltou ao trabalho, procurando o anel.
Michael aproximou-se de Rachel e disse:
- Finalmente sós.
Rachel virou-se para o encarar, mas o sangue gelou-lhe nas veias ao ver os olhos de Michael completamente pretos. Não teve tempo para reagir: num momento tentava tirar a água benta que tinha no bolso, no outro já dera por si amarrada a uma cadeira, com Michael (ou o corpo dele) a andar à sua volta.
Rachel tentava mexer-se, mas por mais que tentasse, não conseguia mexer um músculo sequer.
Michael que se limitava a olhar para ela, disse:
- Não adianta tentares mexer-te. Não consegues sair daí.
- Quem és tu? – perguntou Rachel.
- A história do Michael foi mesmo boa não foi? Era um coitadinho que tinha perdido a namorada, o pai e o melhor amigo… e claro que tu, mais a tua amiguinha Katie tinham de meter o nariz aqui… não existe aqui nenhuma ex-namorada chamada Sarah…
- Tu estiveste no corpo do Michael este tempo todo? – perguntou Rachel.
- Desde o inicio – respondeu “Michael” – eu tinha de arranjar uma maneira de te trazer aqui… mas depois apareceram os Winchester para estragar tudo… e o meu plano teve uns atrasos… mas agora já te tenho, por isso…
- Mas para quê é que me queres? – perguntou Rachel, que tentava ganhar tempo e rezava a todos os santinhos para que os outros a encontrassem.
- O teu pai fez alguns estragos enquanto vivo… um desses estragos foi matar o meu irmão… agora que o teu pai já está nos anjinhos e eu não me posso vingar dele, está na hora de me vingar em ti…
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Supernatural - nova aventura   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Supernatural - nova aventura
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Honda PCX com nova coleccção de acessórios
» Yamaha revela nova esportiva de 250 cm³
» Mustang GT-500 KR do seriado a nova Supermáquina
» Globo compra nova Prison Break, mas só exibe 24 horas e Lost
» Nova tecnica!(pelo menos pra mim)

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Fan fics-
Ir para: