InícioPortalFAQBuscarRegistrar-seMembrosGruposConectar-se

Compartilhe | 
 

 Jensen e Maria (k raio d título é este???? lol)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Luísa Winchester

Fã
avatar

Mensagens : 16
Data de inscrição : 01/06/2008
Idade : 25

MensagemAssunto: Jensen e Maria (k raio d título é este???? lol)   Dom Jun 01, 2008 4:06 pm

pessoal... escrevi esta história já algum tempo... espero q gostem... a minha imaginação tem destas coisas... depois comentem!! quero saber a vossa opinião, para que dessa forma, possa melhorar os meus textos!

PARTE 1

Era um sonho de criança. Desde pequena que Maria sonhava visitar os Estados Unidos, e, finalmente, esse sonho seria realizado. Não como Maria imaginava, mas o “sonho americano” estava cada vez mais perto de ser realizado. Em pequena, Maria sonhava visitar os Estados Unidos, tornar-se uma actriz famosa e casar com o galã dos filmes de acção… o sonho do costume para todas as meninas da idade dela! Mas Maria cresceu, tornando-se numa jovem forte e lutadora, procurando atingir todos os seus objectivos… um já estava atingido: ia finalmente para os Estados Unidos, onde todos os seus sonhos poderiam ser realizados!
É certo que Maria não ia frequentar uma escola de representação, pois os pais não lhe poderiam pagar isso, mas Maria estava confiante em arranjar um emprego, para poder juntar dinheiro suficiente para realizar o seu grande sonho: ser actriz. Não ia ser fácil, muito pelo contrário mas, se já estava nos Estados Unidos, não custava nada tentar… por isso, instalou-se numa pensão barata, comeu uma sandes e foi comprar um jornal para começar a procurar emprego.
Encontrou alguns anúncios, mas, depois de alguma procura, encontrou algo que a chamou atenção: pediam uma empregada interna para um T2… mas quem raio precisa de uma empregada interna para um T2? Maria chegou a uma conclusão: só podia ser um homem. Como estava mesmo a precisar de um emprego, telefonou para o número que estava lá no anúncio e uma voz jovial respondeu:
- Fala o Jensen.
- Hã… - começou Maria – era por causa do anúncio do jornal… eu estava interessada nesse emprego.
- Óptimo! – disse Jensen – finalmente alguém respondeu! Não vai acreditar o tempo que eu estive à espera para que alguém aceitasse o emprego!
- Pois, bem… para quando podemos marcar a entrevista? – perguntou Maria.
- Para agora – respondeu logo Jensen – pode, não pode? Onde está? Se quiser posso ir buscá-la! Ou até posso mesmo ir ter consigo! Como prefere?
- Bem, já que se ofereceu para vir ter comigo, será que pode aparecer ao Jason’s café? Eu estou hospedada na pensão dele… - disse Maria.
- Claro, claro! Vou já para aí! – respondeu Jensen.
- Ok… fico à sua espera na mesa que está ao pé da porta de entrada do café… - disse Maria.
- Até já então! – disse Jensen.
Quando Jensen chegou, Maria ficou surpreendida por ele ser tão jovem e, teve a sensação de que já o tinha visto em qualquer lado… mas devia ser só uma sensação, pensou para si.
- Muito bem – começou Jensen – como sabe, vou ter de fazer algumas perguntas…
- Sim, sim, esteja à vontade. – disse Maria.
- Qual é a sua idade? – perguntou Jensen.
- Tenho 21 anos – respondeu Maria.
- E, sendo tão jovem, porque aceitou este emprego? – inquiriu Jensen.
- Vou ser sincera consigo, Sr. Jensen. Eu aceitei este emprego porque preciso do dinheiro para poder estudar aqui nos Estados Unidos. Sabe, eu não sou americana, sou portuguesa. – disse Maria.
- Ah… Pois, mas sabe, eu vou precisar muito de si lá em casa… eu sou muito desarrumado e nunca tenho tempo para nada… - disse Jensen.
- Tudo bem, eu não estou a pensar estudar nestes primeiros anos. Quero primeiro habituar-me à língua e aos costumes, para depois poder investir nos estudos…
- Isso é que é ter ânimo, para levar as coisas para a frente! – elogiou Jensen sorrindo.
- Temos de ser assim! Sem ânimo e ambição não vamos a lado nenhum! Bem, estou contratada? – perguntou Maria.
- Claro que sim! Mas aviso-a já! Parece que passou um terramoto em minha casa, por isso, quando lá chegar não se assuste! E quanto ao ordenado? Eu estava a pensar em 800 dólares, o que acha? – perguntou Jensen.
- Por mim tudo bem – respondeu Maria – então, fico a viver na sua casa também?
- Sim… - disse Jensen – sabe, é que eu ando sempre a correr de um lado para o outro, e preciso de alguém lá em casa… para me preparar as refeições e essas coisas do género… sabe cozinhar não sabe? – perguntou Jensen, aflito.
- Claro que sim! Os meus pais tinham um restaurante lá em Portugal, por isso não há problema! – sorriu Maria.
- Isso é fantástico! Quando é que pode começar? – perguntou Jensen.
- Hoje! – disse Maria – pode ser?
- Claro que sim! – sorriu Jensen – vá buscar as suas coisas e eu levo-a no meu carro!
Maria gostou do seu “patrão” e sorriu quando ele se ofereceu para levar as malas dela… é certo que ela só tinha consigo uma mala com roupa e a mala do computador portátil que transportava, mas foi muito gentil da parte dele ter-se oferecido para levar as malas, pensou ela.
Enquanto seguiam no carro dele, os dois conversavam animadamente, com Jensen sempre a fazer as perguntas:
- E já fez muitos amigos?
- Bem, não. – respondeu ela – ainda só cheguei hoje de manhã e nem sequer tive tempo de almoçar! Estive a ler o jornal e depois telefonei-lhe e…
- Trata-me por tu – pediu Jensen – quando me tratam por você fazem-me sentir velho!
- Nesse caso, trata-me também por tu, pode ser? – perguntou Maria.
- Ok – respondeu Jensen – já que vamos “viver juntos” temos de nos habituar um ao outro… vá lá, fala-me de ti!
- Chamo-me Maria, tenho 21 anos, venho de Portugal… que mais queres saber?
- Sei lá… diz-me algo que não venha no teu BI… - disse Jensen.
- Gosto de ouvir música, ler, sei lá! Tanta coisa… com o tempo vais-me conhecendo… - disse Maria – e tu?
- Chamo-me Jensen, tenho 29 anos e nasci aqui nos Estados Unidos. No meu tempo livre gosto de fazer exercício para manter a forma e gosto mito de sair com os meus amigos… - respondeu Jensen – o que fazias em Portugal?
- Estava a estudar psicologia, mas não era a área que eu queria seguir por isso desisti… decidi vir para aqui para estudar representação… quero muito ser actriz.
- A sério? – perguntou Jensen – é uma profissão muito trabalhosa, acredita!
- Eu sei… - respondeu Maria – por isso é que eu quis vir estudar para cá! Quero primeiro apostar na formação, para depois poder lançar-me numa carreira. Aqui, ou em Portugal.
- Muito bem – elogiou Jensen – estou a ver que tens grandes objectivos, e ainda bem. Só assim é que conseguimos realizar os nossos sonhos.
Continuaram os dois a conversar até chegarem a casa de Jensen. Depois, enquanto Jensen abria a porta, Maria reparou no seu traseiro, arrependendo-se logo a seguir, pois nenhum traseiro era melhor do que o do George Clooney, pensou ela.
- Bem, este é o meu lar – brincou Jensen, escondendo com os pés as caixas de pizza espalhadas pelo chão – espero que não te assustes, é que a casa parece uma selva… nestes primeiros dias vais ter muito que fazer!
- Não há problema! – disse Maria – eu desenrasco-me bem! Já agora, qual é o teu emprego?
- Hã… bem… sou professor – disse Jensen.
- Então, não te vou ver muitas vezes durante o dia… - disse Maria.
- Talvez. Há dias em que só dou aulas de tarde, mas também há outros em que trabalho o dia todo. – disse Jensen – mas com o tempo, vais conseguindo perceber o meu horário.
- Tudo bem – disse Maria - agora só tens de me explicar como queres que faça as coisas e claro, tens de me dizer onde guardas os detergentes e essas coisas do género…
- É assim, - começou Jensen – eu não tenho muita coisa, tenho apenas o detergente para a máquina da roupa, outro para a loiça e um “lava-tudo”… achas que serve?
- Bem, por agora vai dar, mas depois tens de comprar mais alguns. – respondeu Maria.
- Ok, depois vamos às compras e tu escolhes os detergentes! – disse Jensen – bem, agora tenho de ir trabalhar, ficas bem aqui?
- Claro! Vou ter muito com que me entreter durante o resto do dia! – riu Maria – depois queres que te prepare o jantar ou alguma coisa?
- Pode ser – respondeu Jensen – eu chego por volta das 20:30h.
- Tudo bem. – disse Maria – só não sei o que tu gostas…
- Cozinha qualquer coisa… eu não sou esquisito! – disse Jensen – Até logo, então!
- Até logo!
Depois de Jensen sair, Maria começou o seu trabalho, como se fosse uma fada do lar: arrumou a sala, a cozinha, os quartos, pôs a roupa a lavar e passou a ferro… ficou tudo arrumado e pouco depois, Maria começou a preparar o jantar. Não sabia bem o que fazer, pois não sabia o que é que Jensen gostava ou não gostava e também não tinha grande coisa para cozinhar, por isso, pegou em alguns dos seus primeiros dólares, foi ao supermercado que havia no fundo da rua e comprou os ingredientes para preparar o jantar.
Quando Jensen chegou, ficou impressionado com a quantidade de coisas que Ana tinha conseguido fazer durante a tarde, mas, o que mais lhe chamou a atenção foi o cheiro que vinha da cozinha… foi pela sala e surpreendeu Maria enquanto esta punha a mesa.
- Fantástico! A casa está toda a arrumada e está cá um cheirinho! O que é o jantar? – perguntou Jensen.
-É um prato português, não sei se vais gostar! – disse Maria – arroz de marisco. Está servido! – continuou, fazendo sinal para que este se sentasse – Bom apetite!
- Tem cá um aspecto! – disse Jensen – então, não te sentas?
- Bem… não. Aqui o chefe és tu! Onde é que já viste os empregados a jantar com o chefe? – perguntou Maria.
- Aqui e agora – disse Jensen – vá lá! Senta-te aqui comigo! Já que vamos viver juntos temos de nos habituar à companhia um do outro!
- Tudo bem – disse Maria – vamos jantar, então.
Os dois divertiram-se muito enquanto que jantavam. Ficaram a conhecer-se melhor e ambos sentiram que iria nascer uma bela amizade entre os dois… uma amizade patrão-empregado, como lhe chamou Jensen.
Bem – começou Maria - agora que já está tudo arrumado, acho que vou dormir. Onde é que eu vou dormir?
O meu quarto é este aqui – disse Jensen, apontando para uma porta à sua direita – podes dormir no outro… é um pouco mais pequeno do que o meu, mas acho que vais ficar bem acomodada… se quiseres podes decorá-lo com bem entenderes… só está mobilado com cama, mesa-de-cabeceira e um armário para as roupas.
- Está óptimo! – disse Maria – só precisa de algo meu, para lhe dar um ar mais pessoal. Já agora, a que horas queres que te prepare o pequeno-almoço?
- Por volta das 8:30h… eu só entro no trabalho às 9:30h – respondeu Jensen.
- Ok. Boa noite. – disse Maria.
- Boa noite – respondeu Jensen.
Foram os dois deitar-se. Maria ficou contente, não só por ter arranjado um emprego tão depressa, mas também por ter um patrão tão simpático, com quem estava a partilhar a casa.
Enquanto Maria estava perdida nestes pensamentos, Jensen estava também com as suas ideias: estava satisfeito por ter finalmente encontrado alguém que lhe tratasse da casa e por esse alguém ser uma miúda muito gira simpática… Jensen não conseguia evitar: era um conquistador nato. Mas desta vez tinha de se controlar, pois ela era sua empregada e ela não queria arriscar-se a ficar sem ela.
E cada um com os seus pensamentos, adormeceram, esperando o dia de amanhã.

Maria tinha-se levantado cedo, para poder preparar o pequeno-almoço com tempo para Jensen, e para passar o tempo enquanto que cozinhava, ligou o mp4 e pôs os phones nos ouvidos, ouvindo algumas das suas músicas preferidas. Sem se dar conta, começou a dançar no meio da cozinha, enquanto que arrumava a loiça do jantar. O que ela não sabia, era que Jensen estava nesse mesmo momento a entrar na cozinha, de boxers e t-shirt e estacou olhando para ela, enquanto que ela dançava e cantava para si mesma, nunca pensando que estava a ser observada.
Quando a música parou, Maria virou-se para continuar o trabalho e apanhou um grande susto, ao ver Jensen parado, de boca aberta a olhar para ela.
- Que susto! Queres matar-me do coração? – perguntou Maria, agarrando-se ao peito.
- Desculpa! Não te queria assustar! – disse Jensen.
- Desculpa-me tu! Devo ter-te acordado enquanto que estava a cantar! Sou mesmo distraída, mas sabes, esta é a minha música preferida e, quando a ouço, não consigo parar de cantar e dançar! – disse Maria.
- Tudo bem – disse Jensen – eu já estava acordado… já agora, deixa-me dizer-te que danças muito bem!
- Obrigado – disse Maria, corando – e desculpa outra vez, eu entusiasmei-me…
- Não há problema! – disse Jensen - se for para acordar assim todos os dias, eu não me importo!

(continua)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Luísa Winchester

Fã
avatar

Mensagens : 16
Data de inscrição : 01/06/2008
Idade : 25

MensagemAssunto: ... continuação   Dom Jun 01, 2008 4:10 pm

PARTE 2

Os tempos foram passando, e os dois foram-se conhecendo melhor, tornando-se cada vez mais amigos. Um dia, quando chegou a casa, Jensen viu que Maria estava sentada no sofá a chorar… sentou-se ao pé dela, pôs-lhe a mão sobre o ombro e disse-lhe:
- Então? O que é que se passa?
- Nada – respondeu ela, tentando limpar as lágrimas – não ligues.
- Vá lá… - pediu Dean – conta-me o que se passa contigo!
- É o meu namorado – começou Maria – nós acabamos…
- Mas porquê? O que se passou? – perguntou Jensen.
- Quando eu saí de Portugal para vir para cá, as coisas já estavam um pouco tremidas, mas eu nunca pensei que fossemos acabar. – disse Maria – ele diz que não consegue manter um namoro à distância e também conheceu outra pessoa…
- Só tenho uma coisa para te dizer – disse Jensen – esquece-o! Ele não te merece! E, se gostasse mesmo de ti, iria querer ter falado contigo frente a frente!
- Acho que tens razão – disse Maria, levantando-se – ele é um estúpido, não merece que eu esteja a chorar por ele.
- Essa é a Maria que eu conheço – disse Jensen, sorrindo – levanta a cabeça e segue em frente!
- Vou levantar a cabeça e seguir em frente para a cozinha! – disse Maria a rir – o jantar já está atrasado!
- Esquece o jantar! Hoje vamos jantar fora – disse Jensen – e não aceito um não como resposta!
Foram os dois jantar a um restaurante muito simpático, nos arredores de Nova Iorque e divertiram-se bastante, enquanto que contavam um ao outro as histórias da infância de cada um. No fim de jantar, Jensen quis ir até um bar, mas Maria disse-lhe que não lhe apetecia, e foram os dois para casa. Enquanto se despediam na sala, não resistiram em olhar-se intensamente… Maria disse-lhe:
- Foste um querido Jensen… obrigado mesmo! Nunca ninguém tinha feito isto por mim.
Maria aproximou-se e abraçou-o. Ele retribuiu, claro! No fim, os olhares voltaram a cruzar-se e eles deixaram-se ir, beijando-se. De repente, Maria parou, afastando-se.
- Então? O que se passa? – perguntou Jensen.
- Isto não pode acontecer – disse Maria – eu sou tua empregada!
- Isso não tem nada a ver! – começou Jensen – se existe clima, porque não?
- Porque não dá Jensen! – eu não quero estragar as coisas entre nós!
- Tudo bem – disse ele – se tu não queres…
- Boa noite Jensen. E obrigado pelo jantar.
- Não tens de agradecer – disse Jensen – boa noite.
Foram os dois cada um para o seu quarto. Enquanto se deitava, Jensen pensava no que tinha acontecido há alguns minutos… que momento fantástico! Ela era uma miúda espectacular e ele estava a apaixonar-se… não podia ser! Jensen Ackles apaixonado? Dava capa de jornal! Mas ele não poderia permitir isso… não queria revelar o seu segredo a Maria, pelo menos por agora… adormeceu com esse pensamento e acordou no dia seguinte decidido a conquistar Maria, para depois lhe contar a verdade.
- Bom dia! – disse Maria – então, já acordado?
- Tem de ser – respondeu Jensen – há trabalho para fazer!
Tomaram o pequeno-almoço juntos e quando ia a sair, Jensen disse a Maria:
- Desculpa aquela cena de ontem, eu acho que fui um bocado estúpido…
- Esquece isso! – disse Maria.
- Não esqueço, não. Eu gosto de ti Maria, e vou fazer tudo para te conquistar – disse Jensen a sorrir e, fechando a porta atrás de si, saiu para o trabalho.
O dia correu normalmente para os dois e, quando saiu do trabalho, Jensen foi beber um copo com um amigo. Mas, em vez de beber um copo, bebeu outro, e mais um a seguir, apanhando uma valente bebedeira que o levou para os braços de uma mulher qualquer com quem se envolveu e levou para casa, onde Maria estava à espera dele para lhe dizer que também gostava dele e que queria ficar com ele. Enquanto entrava dentro de casa a beijar a outra mulher, não reparou em Maria que o surpreendeu e lhe disse:
- Essa é uma maneira muito bonita de me conquistares!
E logo a seguir saiu porta fora, desaparecendo.
Jensen acordou para a realidade, tirou a outra mulher lá de casa e foi tentar encontrar Maria. Depois de muitas perguntas aos vizinhos, conseguiu descobrir para onde Maria tinha ido… com a cabeça a andar à roda, engendrou uma surpresa completamente doida e foi para a porta da pensão onde tinha conhecido Maria e começou a cantar:
-I won’t go home without you
I won’t go home without you…
Maria veio à janela e começou a discutir com Jensen:
- Vai-te embora!
-…I won’t go home without you
I won’t go home without you…
- Pára com isso Jensen!
-…It’s not over tonight
Just give me one more chance
To make it right…
- Cala-te!
De repente Maria ouviu outra voz para além da de Jensen… Ouviu a voz de Adam Levine! Sim! O vocalista dos Maroon 5 estava ali, com o Jensen ao lado, a cantar para ela!
Começou a descer as escadas e foi ter com eles… como é que Jensen tinha conseguido convencer o Adam Levine a cantar para ela? E, de repente, fez-se luz na cabeça de Maria… já sabia de onde é que conhecia a cara de Jensen! Era da série “Sobrenatural”, da qual a irmã mais nova não parava de falar… quando chegou ao pé de Jensen perguntou-lhe:
- Não és professor pois não?
- Não – disse ele – eu queria ter-te contado mas não houve oportunidade…
- E como é que conseguiste organizar isto tudo? – perguntou Maria.
- Eu já conheço o Adam há algum tempo e, depois da asneira que fiz, lembrei-me que tu estavas sempre a cantar a música deles… “I won’t go home without you” e telefonei-lhe… desculpa! Desculpa-me por não te ter contado a verdade sobre quem eu realmente sou, e desculpa por causa da outra miúda… eu estava com uns copos a mais e estava zangado por tu me teres rejeitado na outra noite… Desculpa! – disse Jensen – eu adoro-te! Já não me imagino a viver sem ti… volta para casa comigo, por favor!
Maria sorriu ao ver a verdade nos olhos dele… não o quis beijar à frente daquela gente toda, pois tinha a sensação que havia uma câmara fotográfica escondida algures, por isso disse-lhe:
- Vamos para tua casa, conversamos lá.
Foram os dois para casa, com Jensen um pouco mais sóbrio. Mesmo antes de chegar à porta, já estavam a beijar-se sem parar, ignorando os tropeções que tiveram até chegarem ao quarto, onde fizeram as pazes de tudo.

O despertador estava a tocar sem parar e Maria esticou o braço para o desligar, virando-se depois para Jensen.
- Bom dia – disse ele, sorrindo.
- Bom dia - respondeu ela.
-Isto nunca me tinha acontecido – disse Jensen – tu fizeste-me esquecer todos os casos de apenas uma noite e fizeste com que eu me apaixonasse por ti…
- Bem, sinto-me muito feliz por despertar todos esses sentimentos em ti – disse Maria, deitando a cabeça no peito de Jensen – eu também gosto muito de ti… apaixonei-me por ti mesmo sem querer… como sabes, eu tinha namorado, mas depois dos tempos que passei contigo… não podia continuar a enganar-me a mim mesma…
- Tu não me reconheces-te mesmo, pois não? – perguntou Jensen.
- Ao inicio, a tua cara pareceu-me familiar, mas como te fui conhecendo melhor, não encontrei qualquer tipo de relação com o que diziam nas revistas lá em Portugal, por isso, cheguei à conclusão que era só semelhança física… mas afinal eras mesmo tu… - respondeu Maria.
- Achas que isso vai mudar alguma coisa entre nós? – perguntou Jensen.
- Espero bem que não – disse Maria, suspirando – se nós soubermos que gostamos um do outro, é só isso que importa, não achas?
- Claro, tens razão – disse Jensen.
- Tenho uma coisa para te contar – disse Maria – consegui um casting para um filme do Steven Spilberg…
- Estás a falar a sério? – perguntou Jensen – Parabéns! isso é fantástico! Tenho a certeza que vais conseguir passar no casting! – disse-lhe ele.
- Espero bem que sim! – disse ela, sorrindo – estou muito contente por ter conseguido entrar no casting… Deseja-me sorte!
- Não precisas de sorte – disse Jensen – tu tens talento e é só isso que interessa… tenho a certeza que vais ser uma actriz brilhante!
Olharam os dois pela janela. O dia já tinha nascido, mas deixaram-se ficar na cama, olhando um para o outro e sorrindo. Estavam juntos, e nada nem ninguém os poderia separar.

Cinco anos depois, na capa de um jornal americano dizia: Jensen Ackles casa-se com a mais recente estrela de Hollywood: Maria Machado – um amor além fronteiras!


ESPERO Q TENHAM GOSTADO!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Pereira_Girl

Fã
avatar

Mensagens : 36
Data de inscrição : 28/03/2008

MensagemAssunto: Re: Jensen e Maria (k raio d título é este???? lol)   Qua Jun 04, 2008 2:19 pm

'Tá bué gira!

Parabéns! Very Happy

Continua a escrever, tens muito jeito!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
crazy_angel17
Fã 2*
Fã 2*
avatar

Mensagens : 159
Data de inscrição : 16/01/2008
Idade : 29
Localização : Azeitão

MensagemAssunto: Re: Jensen e Maria (k raio d título é este???? lol)   Qua Jun 04, 2008 2:48 pm

Completamente de acodo!

Tá mesmo muito fixe e tens muito jeito!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Luísa Winchester

Fã
avatar

Mensagens : 16
Data de inscrição : 01/06/2008
Idade : 25

MensagemAssunto: Obrigado!!   Qui Jun 05, 2008 4:54 pm

mt obrigadu pelos coments!! Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Jensen e Maria (k raio d título é este???? lol)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Jensen e Maria (k raio d título é este???? lol)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Maria Madalena || Capítulo 59
» Maria Madalena || Capítulo 70 - Útimos Capítulos
» Maria Madalena || Capítulo 73 - Último Capítulos
» maria silvia
» Olá, sou a Maria João

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Fan fics-
Ir para: